Home » Gestão financeira em condomínios

Gestão financeira em condomínios

Publicado em 22 de fevereiro de 2023

Essa gestão financeira pode ser realizada por síndicos moradores, síndicos profissionais ou administradoras. Um financeiro organizado garante a tranquilidade dos moradores  

 

Administrar um condomínio é muito parecido com conduzir um negócio, por isso um dos pontos mais importantes para garantir sua sustentabilidade é a gestão financeira. O síndico é o responsável, junto a administradora, de planejar e organizar todo a movimentação monetária.  

Para isso, é necessário ter muita organização para gerir os recursos financeiros de todo o condomínio, com muita ética e honestidade. São muitas as entradas e saídas na conta que merecem atenção e cuidado, para que tudo se mantenha funcionando corretamente. 

Leia mais: Portaria remota: quais são os serviços inclusos na contratação

Afinal, o que é gestão financeira para condomínios?

Antes de tudo, a gestão financeira para condomínios é a adesão de práticas que garantam a sua saúde financeira. Assim os condôminos pagam de forma mensal uma taxa condominial que custeiam as despesas básicas, do dia-a-dia do prédio, e um eventual fundo de reserva. Logo ambos os valores serão administrados pelo responsável, sendo um síndico ou a administradora. 

Dentro dos prédios, a gestão financeira é basicamente administrar o dinheiro de todos e encaminhar para os usos necessários. As atividades que envolvem esse gerenciamento são: 

– Emitir boletos para o pagamento da taxa condominial;
– Montar e distribuir os demonstrativos financeiros;
– Elaborar o orçamento anual e a prestação de contas;
– Realizar a cobrança dos valores em atraso;
– Administrar o fundo de reserva;
– Gerenciar as contas a serem pagas;
– Elaborar relatórios.  

Leia mais: Alarm Wolx: Tecnologia para condomínios

O síndico e a gestão financeira

Sobretudo o síndico é o representante máximo do condomínio, exercendo um papel de liderança na administração do prédio. Além de ser a figura central, ao mesmo tempo ele deve zelar pelo condomínio e pelas suas finanças. 

Ou seja, é indispensável que ele tenha conhecimento sobre gestão financeira, conheça a legislação e os conceitos básicos de um edifício, como o regimento e as leis. Mas a função mais importante que o síndico vai exercer é a de negociador, seja com fornecedores ou com condôminos inadimplentes.  

Melhores práticas

Nesse sentido, no começo de cada ano é preciso realizar nas finanças do condomínio, assim como nas suas finanças pessoais, um planejamento de gastos, estimando entradas e saídas de dinheiro em todos os meses. Dessa forma, é possível organizar a verba para reformas e melhorar a estrutura dos prédios.  

Leia mais: Afinal, o que é portaria remota?

Visando essa organização, separamos algumas dicas que você pode colocar em prática: 

– Organize as finanças: esse é o primeiro passo para alcançar um equilíbrio financeiro. O síndico faz um levantamento de gastos, pagamentos, receitas e investimentos. Com esses números em mente, é possível ter um bom fluxo de caixa.  

A análise de contas é um dos desdobramentos da organização financeira, nela é válida categorizar as despesas em fixas (ordinárias), variáveis (taxas e impostos) e extras (imprevisíveis).  

– Faça um bom planejamento financeiro: planeje e coloque em prática os planos de investimento que você teve na organização das finanças. Nesse momento é necessário projetar as entradas e saídas ao longo do ano.  Outro ponto é formar ou manter o fundo de reserva. 

– Controle os gastos: tenha em mente o planejamento financeiro. registre toda a movimentação e operações realizadas. Dessa forma, o síndico terá mais tranquilidade em demonstrar nos relatórios o que está sendo realizado. 

Com o controle financeiro, o condomínio garante um suporte financeiro para alguma necessidade extra. 

Leia mais: Como meu prédio se prepara para receber a portaria remota?

– Reduza os custos: implementar serviços terceirizados, como a portaria remota podem ajudar na organização das finanças, pois reduzem os custos básicos de operações em condomínios. 

– Controle a inadimplência: analise quais são os condôminos devedores e proponha acordos para a quitação do valor, na melhor combinação para as duas partes. Visando diminuir o número de inadimplentes, tente diminuir os custos do condomínio.  

– Seja transparente: coloque todos os dados na prestação de contas, seja sincero e transparente. Nesse momento, o síndico precisa passar tranquilidade para os condôminos, além de evitar problemas futuros. 

Ter a confiança dos moradores é muito importante para o síndico e para uma boa gestão financeira.  

Yeda Vasconcelos
Produtora de conteúdo – BRZ Content 

Deixe um comentário

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos mais visitados

7 Tendências para o mercado de segurança em 2022

7 Tendências para o mercado de segurança em 2022

Como você já deve ter percebido, a pandemia acelerou a digitalização das...
Circuito CFTV: o que é, como funciona e vantagens

Circuito CFTV: o que é, como funciona e vantagens

O circuito CFTV é uma das soluções eletrônicas mais utilizadas no monitoramento...

    Fale conosco

    Contatos

    Entre em contato através dos
    números abaixo

    Copyright 2021 - Alarm Wolx
    (11)991587233